Blog

LITORAL NORTE DEVE RECEBER 1,5 MILHÃO DE PESSOAS

Litoral Norte deve receber 1,5 milhão de pessoas


Adriana Lampert

As praias do Litoral Norte devem receber 1,5 milhão de visitantes nos meses de janeiro e fevereiro. Se confirmado, o volume será 30% maior em relação ao último veraneio. No comércio, as vendas já registraram esse aumento desde o Natal, segundo a presidente do Sindicato de Hotéis, Bares, Restaurantes e Similares da Região (Shrbs-LN), Ivone Ferraz.

E pelo menos metade do público esperado para o verão já chegou às praias: somente em Torres, mais de 300 mil pessoas participaram do Réveillon promovido pelo município. Contando com 19 mil leitos, o Litoral Norte foi cenário de novos investimentos no decorrer de 2016, sendo que, desde janeiro, foram implementadas mais de mil novas acomodações em Torres e Capão da Canoa. Também foram inaugurados cinco novos postos de gasolina, com restaurantes e lanchonetes, ao longo das rodovias BR-101 e a RS-389 (Estrada do Mar). Conforme entidades representativas do setor hoteleiro da região, as vias de acesso de 18 praias estão "bem preparadas e equipadas" para a chegada de novos visitantes. "Também os postos policiais e ambulâncias estão todos ativados", destaca a presidente do Shrbs-LN. Durante 2016, a estratégia do sindicato para atrair mais turistas aos balneários gaúchos foi participar de feiras internacionais - duas na Argentina - e nacionais, a exemplo das que ocorrem em Gramado (RS) e no estado de Santa Catarina. "Os próprios hotéis também divulgaram acirradamente, através das redes sociais, informações turísticas, inclusive em inglês e espanhol", comenta a presidente da entidade.

Todo este empenho, aliado a melhorias em infraestrutura, deverá garantir que o setor receptivo das principais praias (Tramandaí, Imbé, Capão da Canoa e Torres) seja bem-sucedido, avalia Ivone. De acordo com os gestores públicos dos municípios, as guaritas de salva-vidas que haviam sido danificadas ou destruídas devido a um temporal ocorrido há cerca de dois meses já foram totalmente recuperadas ou substituídas em Torres e Imbé. Já um trecho que representa 17% do calçadão da orla de Imbé, que também foi afetado pela "ressaca" da maré provocada pelas chuvas, ainda é uma preocupação "muito grande", segundo o secretário de Turismo, Desporto, Indústria e Comércio local, Sérgio Külzer. Isso porque a reconstrução das pedras (que está sendo financiada pelo governo federal com uma contrapartida do município, somando R$ 418 mil) está prevista para terminar somente em março. "A segurança fica um pouco comprometida em caso de tumulto, por exemplo", comenta o secretário. Na noite de Réveillon, Imbé recebeu cerca de 200 mil pessoas.

Um dos problemas detectados por Külzer é antigo: congestionamentos e trânsito lento entre as avenidas Emancipação e da Igreja são frequentes e devem se repetir durante o veraneio. "Temos apenas uma ponte que liga Imbé a Tramandaí, o que nos causa muitos problemas, pois, a cada ano, aumenta a demanda de veículos", declara o gestor. Empresários do setor hoteleiro investiram em melhorias Imbé é outro destino do Litoral Norte que oferece um Centro de Atendimento ao Turista (CAT), com funcionamento diário das 9h às 20h. "Fica bem na entrada da cidade", destaca o secretário de Turismo local, Sérgio Külzer. No espaço, os visitantes recebem fôlderes com diversas informações, inclusive de serviços como o de coleta de lixo e postos de saúde, entre outros. A cidade conta com seis hotéis, 20 pousadas e nove campings - além de 20 restaurantes em média. Contando com 80% da taxa de ocupação garantida para janeiro, o Hotel Centenário, um dos principais meios de hospedagem de Tramandaí, recentemente investiu em reformas nos 53 apartamentos. "Foram trocados os equipamentos e realizamos pintura nova", resume a gerente do grupo Kimar, Janice Machado. "O mesmo foi feito no Hotel Samburá, em Imbé", completa.

Em Cidreira e Pinhal também ocorreram muitas obras de melhorias nas empresas de receptivo, comenta o presidente do Sindicato Intermunicipal da Hotelaria, Manuel Suarez. "Vários hotéis estão trabalhando em parceria com o Sesc-RS e aguardam um grande número de comerciários que compraram pacotes de hospedagem e alimentação." Bares e restaurantes trabalham para incrementar a economia local Região relativamente pobre quando observada do ponto de vista da geração própria de riqueza, o Litoral Norte conta com 75% de sua estrutura produtiva baseada nos serviços, sendo que boa parte está associada ao fluxo sazonal dos turistas no verão, especialmente na área de alimentação. Recentemente, a Fundação de Economia e Estatística (FEE) realizou um estudo sobre o turismo no Rio Grande do Sul, com estatísticas e análises sobre o setor, em parceria com a Secretaria de Turismo, Esporte e Lazer do Estado (Setel-RS). Segundo o material, desde a primeira metade do século XX, a região já contava com a presença de veranistas nas praias e um incipiente negócio hoteleiro, impactando o perfil do desenvolvimento das atividades turísticas das cidades, afirma o documento.

De acordo com a FEE, Torres pertence à melhor categoria do Mapa do Turismo Brasileiro quanto à infraestrutura adequada para atender o turista. E, segundo o secretário de Turismo do município, Denzer Reginatto de Vargas, 2016 será novamente um ano de eficiência em receptivo. "Estamos com toda a estrutura pronta. Temos a terceira maior rede hoteleira do Estado, perdendo só para Porto Alegre e Gramado", destaca o gestor. Para melhor orientar os visitantes, a cidade mantém um espaço de atendimento - que pode ocorrer em três idiomas: português, espanhol e inglês - denominado Casa do Turista, localizado na avenida principal, e a meta é implementar outras duas unidades do gênero.

- Jornal do Comércio (http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/01/economia/539552-litoral-norte-deve-receber-1-5-milhao-de-pessoas.html)



Compartilhe: